A importância de ser um bom pai

Felizmente, o pai estrito que tem que endurecer seu filho para enfrentar os problemas que o esperam no futuro e a mãe carinhosa, afetuosa e protetora, pertence cada vez mais ao mundo dos estereótipos e não ao mundo de hoje. .

Mas não é menos verdade que existem muitos pais procurando encontrar seu lugar na família Agora que as circunstâncias mudaram em relação ao que eles experimentaram em sua infância. E é essencial que eles o consigam, porque a figura do pai é fundamental na educação dos filhos.

Quando falamos sobre a importância que os pais têm nos filhos, é quase inevitável que o papel fundamental da mãe venha à mente. Acontece já ao nascimento, pois o período de lactação estabelece um vínculo especial entre mãe e bebê, e também depois, porque tende a ser um dos suportes emocionais mais importantes nos próximos anos.


Talvez seja por essa razão que os ditos populares exaltam freqüentemente as virtudes da mãe, mas não as do pai. Este número tem sido tradicionalmente relegado ao papel de portador de ordem, disciplina e segurança econômica em casa.

O pai, o melhor 'influenciador' de seus filhos

É evidente que tanto a mãe como o pai marcarão a vida de seus filhos, tornando-se seus influenciadores, nas referências que sustentam, em muitos casos, as diferentes facetas sobre as quais repousam a autoconfiança, a autoestima e a estabilidade afetiva e emocional. Juntos, eles vão compensar por eles a primeira escola de amor, o primeiro lugar onde eles vão aprender e experimentar a importância de querer e sentir-se amado.


Nas mãos dos pais, as crianças começarão a se abrir para o mundo ao seu redor, para os outros; Eles entenderão a importância da socialização e como isso é necessário para o seu desenvolvimento interior. É onde a influência do pai se constitui como uma referência original, diferente da da mãe, sem ter que nos perguntar se é melhor ou pior, apenas diferente.

As crianças observarão como o pai delas confronta, administra e reage diferentemente à mãe, dando-lhes a possibilidade de que, pouco a pouco, elas tirem suas conclusões sobre o modelo a ser imitado ou levado em conta quando situações semelhantes lhes acontecerem. .

Bases da educação: o pai na família

Eles aprendem com o exemplo e imitam o que vêem e é a interpretação que eles tiram da sua experiência, juntamente com a sua personalidade, o que os torna inclinados a um ou outro estilo, portanto, podemos dizer que um pai não está apenas lá para proteger seus filhos. , nem que o seu quadro de coexistência com eles tem de se basear essencialmente em normas e limites. Você também deve estar interessado em saber quais são as necessidades específicas de cada membro de sua família e ver se consegue atendê-las.


É verdade que a firmeza deve ser usada em face de possíveis manipulações e promoção de esforço e perseverança para alcançar os objetivos que seus filhos estabeleceram para si mesmos, mas também é necessário aproveitar a empatia em situações em que eles parecem ser fracos ou sentirem-se limitados. Às vezes, você pode ter que tomar medidas para estabelecer algum controle sobre tudo que seus filhos realizam, mas também seria bom deixá-los com iniciativa e transmitir segurança. E o que dizer sobre o que é essencial para corrigir, por isso mesmo seria muito útil reforçar, valorizar e dar nossa aprovação para promover sua autoconfiança.

Sabemos que uma criança que vê a preocupação de seu pai por tudo que é importante para ele, que busca espaços para conversar com ele, que tenta entendê-lo, se sente muito mais apegada a ele do ponto de vista afetivo e emocional. Ele vai gostar de estar com ele, fazer coisas com ele e desfrutar de sua companhia. Haverá uma harmonia entre eles, uma harmonia e uma cumplicidade que o constituirão como apoio e referência às dificuldades. Será um relacionamento em que a criança não precisa provar nada para ganhar o favor de seu pai. Ele se sentirá amado incondicionalmente, embora em muitas ocasiões possa ser repreendido, desaprovar seu comportamento ou não concordar em como administrar um determinado assunto.

Eduque no exemplo

Um pai deve entender que tudo o que ele quer instilar em seu filho deve passar por si mesmo, tornando-se um exemplo dessa virtude, tornando-se um modelo. E se por acaso falta a virtude que quer ensinar, deve mostrar pelo menos um espírito de luta para alcançá-la sem deixar espaço para autopiedade ou resignação. O desejo de moldar continuamente para ser uma pessoa melhor, faz com que seus filhos percebam que é um trabalho árduo, que dura a vida toda, com seus avanços e retrocessos, mas com a satisfação de si como a maior recompensa e o benefício que irradia para quem mora junto com ele.

O pai pode definir as tarefas nas quais ele participará. A chave é envolver-se com a mãe na educação dos filhos, conversar, compartilhar experiências, etc.Assumir responsabilidades cotidianas em comum também ajuda a estimular a cooperação e a co-responsabilidade. Pegar seu filho na creche, ajudá-lo a se vestir de manhã, preparar comida e levá-lo ao médico, entre outras coisas, pode ser uma tarefa que serve como exemplo.

Os casais envolvidos no trabalho doméstico atuam como modelos de igualdade para seus filhos e contribuem para o desenvolvimento psicológico. Também este envolvimento dos dois membros do casal supõe um melhor desenvolvimento intelectual e social emocional das crianças. Se a implicação for mantida desde o início, facilitará boas relações com seus filhos durante a adolescência.

A co-responsabilidade do pai: necessária para conciliar

Também é importante que, na medida do possível, possamos tornar o trabalho compatível com a vida familiar. Primeiro, porque o pai descansa e se desconecta das preocupações inerentes à natureza de seu trabalho e segundo, porque nos dá a oportunidade de criar um tempo dedicado às crianças, seja brincando com elas, ajudando-as em qualquer coisa que elas precisem ou simplesmente fortalecendo ligações. por meio de conversas sobre tópicos que podem lhe interessar.

No caso de separação ou divórcio, a manutenção do relacionamento com o pai, especialmente nos casos de guarda materna, é um fator que protege contra os efeitos adversos que a exposição ao conflito entre pais tem sobre os filhos. Nestes casos, requer muito mais do que a simples organização dos turnos de visitas e coabitação nos finais de semana.

É necessário que o pai transmita aos filhos que eles não têm responsabilidade em tudo o que está acontecendo e que somente eles, como pais, podem responder ao que aconteceu. Igualmente, é importante proporcionar-lhes segurança emocional, mostrando-lhes quão importantes continuam a ser para ele, evitando dons materiais ou atribuições injustificáveis ​​diante de normas já conhecidas que apenas falsamente acalmam as consciências.

É mais bem sucedido mostrar um desejo e uma preocupação em saber como estão, o que sentem e o que precisam nesses momentos difíceis. É muito positivo que os pais estejam profundamente envolvidos nos momentos em que têm filhos, porque demonstram o seu compromisso e incondicionalidade, apesar do facto de a situação familiar ter mudado.

Em resumo, Pai Ele também tem um papel fundamental na educação e a criação de filhos. Sua personalidade e sua maneira de fazer as coisas vão constituir um referente básico junto com o da mãe na infância da criança. Tão forte foi estabelecido vínculo afetivo nessas idades, ambos serão em fases mais futuras. Eles poderão mudar as formas de articular essa relação - mais diretivas na infância, mais apoio na adolescência e na maturidade -, mas, se isso acontecer, serão sempre constituídas como referência moral e ajuda incondicional nos estágios subseqüentes. vida de seu filho.

Juan Carlos García Saavedra. Conselheiro de Família e Mediador Family Counseling Institute Match

Vídeo: Tiago Brunet - A importância do pai na vida do filho // Paternidade


Artigos Interessantes

Ford Mondeo: salto premium

Ford Mondeo: salto premium

O Mondeo chega à sua quarta geração e, depois de vender mais de quatro milhões e meio de unidades, torna-se salão de representação, pela qualidade e inovações técnicas.A Ford escolheu as estradas de...

Higiene: bons hábitos para crianças e bebês

Higiene: bons hábitos para crianças e bebês

Durante os primeiros anos de vida, as pequenas rotinas que cercam nossos filhos são assimiladas por si mesmas e estão se tornando, pouco a pouco, um costume que elas mesmas quererão manter amanhã. Um...