A linguagem secreta dos adolescentes nas redes sociais

Internet e o redes sociais eles se tornaram um refúgio para muitos adolescentes. Por esses meios, eles se comunicam e expressam seu verdadeiro eu. É normal que, como pais, nos preocupamos com a atividade online de nossos filhos e queremos saber o que eles publicam, mas Muitas vezes os adolescentes usam códigos que não conseguimos entender.

Os adolescentes querem ter liberdade e, hoje, essa liberdade é alcançada muitas vezes através da linguagem secreta dos adolescentes nas redes sociais, que permitem que os jovens se comuniquem quase sem barreiras. E, como todos, nossos filhos temem perder essa liberdade quando percebem que os pais querem estar cientes do que acontece em seus perfis nas redes sociais.


Por esse motivo, Os adolescentes desenvolveram várias técnicas e códigos para evitar que seus pais nas redes sociais. É importante conhecer essa linguagem para garantir a segurança de nossos filhos, mas, ao mesmo tempo, respeitar sua liberdade de manter uma relação de confiança com eles.

Mais de um perfil tem adolescentes em redes sociais

Uma das técnicas mais utilizadas pelos adolescentes para evitar pais em redes sociais como o Instagram é crie dois perfis. Um deles será destinado ao ambiente familiar, tendo imagens e outras publicações "aptas" a serem visualizadas pelos pais. Esses perfis geralmente são de natureza privada. Isso significa que apenas seguidores aceitos pelos adolescentes podem observar o conteúdo do perfil.


O outro perfil é destinado a amigos e conhecidos e é geralmente público, já que é uma maneira de obter seguidores, algo que os adolescentes aspiram. Como os pais muitas vezes ignoram a existência de outro perfil, os jovens se sentem livres para publicar sobre suas vidas amorosas, festas, etc.

Em outras ocasiões, os adolescentes têm um perfil único nas redes sociais, mas o configuram de tal forma que certas publicações, como InstaStories, não podem ser vistas pelos pais.

O mundo dos emoticons: essencial para adolescentes

Emoticons são uma parte essencial da linguagem dos adolescentes. Além de seus significados óbvios, como um sorriso ou um rosto irritado, eles podem ser usados ​​como códigos e revelam muitas informações sobre a vida dos jovens.

Os emoticons que são colocados na biografia do Instagram, por exemplo, podem revelar a pertença a uma gangue ou grupo de amigos, seus pseudônimos ou até mesmo o pessoal em que eles têm um interesse amoroso. Por exemplo, se seu filho tiver um emoticon de um tigre ou tartaruga em sua biografia, isso pode significar que ele pertence a um grupo no qual todos os membros usam esse emoticon para se identificar.


Isso pode ser perigoso, porque é uma informação facilmente acessível. Além de nós como pais, outras pessoas podem decifrar esses códigos e se passar por outro membro da gangue para ferir nossos filhos. Não é necessário cair na paranóia nesses casos, mas sim conscientizar os adolescentes sobre as informações que compartilham e com quem eles compartilham.

Anonimato na forma de perfis falsos em redes sociais

Uma das grandes características da Internet é o anonimato. É muito fácil criar perfis falsos em redes sociais e usá-los para fazer cyberbullying. Existem também certos aplicativos como o ThisCrush, que tornam o anonimato possível.

Esta aplicação, originalmente concebida para fazer declarações amorosas anonimamente, é usada por muitos jovens para intimidar ou criticar pessoas, amigos ou colegas sem se identificar. Para usá-lo, os garotos compartilham um link para esse aplicativo em sua biografia no Instagram e fazem uma pergunta aos seus seguidores através do InstaStories. Qualquer pessoa que tenha acesso ao link pode responder às perguntas ou fazer comentários anonimamente.

Segurança de rede

Não podemos limitar completamente a atividade de nossos filhos na internet ou nas redes sociais, pois são ferramentas que fazem parte do nosso dia a dia. No entanto, como pais, devemos conhecer a linguagem usada nesses meios pelos adolescentes e garantir o uso adequado dessas plataformas. Para isso, é importante comunicarmos aos jovens o valor da informação que é compartilhada e o valor das próprias redes sociais.

Primeiro, devemos dar o exemplo e evitar o uso excessivo de nossos telefones quando compartilhamos o tempo com nossos filhos. Além disso, devemos motivá-los a realizar atividades sociais que se afastem da interação nas redes sociais. Se nossos filhos passam mais tempo praticando esportes, brincando ao ar livre e fazendo amigos pessoalmente, é mais provável que eles não se sintam tão dependentes das plataformas online.

Isabel López Vásquez
Conselho: Panda Security

Vídeo: Linguagem Corporal #01 - 10 Dicas Práticas Para Uma Linguagem Corporal de Poder


Artigos Interessantes

Prêmios do professor aos protagonistas da educação

Prêmios do professor aos protagonistas da educação

O jornal Ensino, pertencente ao grupo Siena, organiza próxima quinta-feira, 12 de novembro, a sétima edição do Protagonistas da Educação de Prêmios de Professores, pelo qual "o trabalho de todos...

Brigas entre irmãos

Brigas entre irmãos

É comum que quando as crianças atingem a idade de 4 ou 5 anos, os jogos que anteriormente compartilhavam com seus irmãos são frequentemente substituídos por brigas. As lutas são comuns em famílias...

43% das mães que amamentam têm problemas em conciliar

43% das mães que amamentam têm problemas em conciliar

É claro que ainda há um longo caminho a percorrer no campo da conciliação, porque existe uma certa lacuna cultural nas empresas. Então, o II Estudo sobre Conciliação e Amamentação realizada pela...