Eduque em sentimentos

Javier Urra Psicólogo e primeiro defensor infantil

Somos treinados na aprendizagem do conhecimento, mas em que mais é necessário educar? "O conhecimento começa com sensibilidade" (Eliot). É necessário educar nos sentimentos, na apreciação de sua riqueza, em saber expressar os próprios, em compreender e compreender os dos outros. Aprender a conduzir a vida e gerenciar os relacionamentos que são mantidos com os outros.

As crianças devem saber como abordar outras pessoas para consultar ou negar seus pedidos. Expressando emoções e necessidades, facilite o equilíbrio psíquico. Inteligência é um conceito global, cognitiva e afetivamente. ¿Quantas pessoas vemos quem é excepcionalmente profissional, mas emocionalmente desequilibrado? Sua vida falha.


Socialização é o processo pelo qual a personalidade individual nasce e se desenvolve. A socialização implica imersão na cultura, controle de impulsos, experiência de si mesmo, desenvolvimento de afetividade e motivação de realização. Deve facilitar uma "competência comunicativa" e um "viver com".

A atitude e filosofia devem ser: conheça-se e coloque-se no lugar do outroisto é, mergulhar na introspecção e na socialização. No final, somos o que a educação recebida e a auto-educação subseqüente fez de nós, refletindo qual espelho, amor ou vilania foi colocado diante de nós.

O bom caráter da criança, suas atitudes positivas, seu autocontrole dependerão do clima favorável no lar, da modelagem correta, do uso equilibrado do controle e da autonomia do comportamento daqueles que estão aprendendo o significado de aceitar as conseqüências de seus filhos. atos, de formar consciência do que é bom e do que é inaceitável.


A criança estará preparada para interagir com o meio ambiente. Terá que ser dotado de um bom julgamento moral. A empatia é essencial, a capacidade de se colocar no lugar de outra pessoa, como você se sente, como você percebe. A empatia requer reflexão, sensibilidade e reduz (ou elimina) a possibilidade de respostas violentas.

Tem que ensinar a ter amigos saudáveis ​​e duradouros; educar com bondade, no altruísmo, no você; promover a solidariedade.

Como nos comportamos? Bem, de acordo com o que vemos, de acordo com nossa auto-estima. Temos que confiar em nós mesmos, devemos nos amar, o autoconceito positivo se correlaciona favoravelmente com o comportamento de ajuda, portanto, devemos promover nas crianças uma imagem positiva de si mesmas com base na realidade de suas vidas. A auto-estima é como um antídoto, que nos protege de problemas psicológicos.

Cada um tem que aprenda o autocontrole, ser sereno, raciocinar objetivamente, dialogar, ser equilibrado. Admita que problemas, frustrações fazem parte da nossa vida. Seja honesto consigo mesmo e com os outros. Conheça o positivo e negativo de si mesmo, as limitações. Desenvolva senso de humor, autocrítica. Dê a si mesmo uma meta, um objetivo.


Assuma a responsabilidade por suas conseqüências

As crianças são repetidamente informadas sobre o que devem ou não devem fazer (até mesmo dizer ou manter silêncio), mas é essencial que elas saibam como lidar com seus pensamentos, porque elas condicionam emoções e sentimentos.

No caso das crianças, elas devem ser educadas na tolerância das frustrações e na capacidade de adiar gratificações. Às vezes a criança é educada para ser capaz intelectual e formativamente, mas se esquece de ensinar a responder a problemas emocionais.
A criança deve ser educada para ser melhor, não o melhor.

Vídeo: 27/05/2014 - EDUQUE SEUS SENTIMENTOS - Ilce Hentoux


Artigos Interessantes

AEP publica seu guia prático para pais on-line

AEP publica seu guia prático para pais on-line

A Associação Espanhola de Pediatria AEP coloca nas mãos de todas as famílias um Guia prático para pais, desenvolvido em colaboração com Dodot, que pretende ser um livro completo de consulta das...