De volta ao trabalho: quando é hora da mamãe reconciliar

Seja por necessidade ou por necessidade, mais e mais mães estão terminando o tempo de licença maternidade, eles têm que retornar ao seu trabalho. A opção de levar as crianças com uma durante o dia inteiro não é boa para a mãe ou o bebê. No entanto, embora exija algum esforço, há muitas maneiras de organizar e garantir que nossos filhos tenham o melhor atendimento.

A questão de saber se uma mãe deve ou não retornar ao trabalho não pode ser considerada assim neste século. Às vezes, é uma escolha livre. Em outros, é a necessidade de contribuir para a economia familiar. Em qualquer caso, mais e mais mulheres têm que deixar seus bebês por alguns meses para voltar aos seus trabalhos. E a idéia fotogênica de levá-lo ao escritório - ou ao Congresso dos Deputados - não é a melhor opção para a mãe ou a criança.


Além dos repetidos pedidos de poderes públicos para garantir a conciliação, os pais devem adaptar-se às situações que nos são impostas e, em todo caso, evitar qualquer sentimento de culpa por não estar presente a cada minuto da vida de nossos filhos. .

De fato, enquanto crianças mais velhas exigem a presença constante de pais, bebês, se houver fixação adequada, basta que alguém os alimente, mantenha-os limpos e lhes proporcione uma boa soneca. Quem faz isso não é de grande importância para eles, de modo que não haverá trauma se for alguém que lhe dê uma mamadeira ou mude a fralda algumas horas por dia.


Quando voltar ao trabalho depois da maternidade

A maioria das mães que trabalham não tem muitas opções para escolher quando retornam à sua posição. O perdas maternas variam em cada lugar, de mmais de um ano em alguns países nórdicos até as 12 semanas sem remuneração dos Estados Unidos ou 9 da Malásia.

Dependendo dos regulamentos, existe a opção de adicionar os chamados "dias de lactação". Trata-se de acumular as horas de redução das horas de trabalho às quais as mães têm direito por um tempo para amamentar seu bebê.

Muitos casais escolhem adicione as férias da mãe e do pai em diferentes períodos para prolongar o tempo de permanência do bebê em casa. Esta opção não é fácil de implementar se houver outros irmãos e deixar o casal sem um tempo de lazer compartilhado no verão.


Quem cuida do meu bebê quando volto ao trabalho

Para muitos pais, ode volta à rotina de trabalho Isso gera uma enorme ansiedade diante da perspectiva de outras pessoas terem que cuidar do bebê. Muitos pais sentem-se desconfortáveis ​​e nenhuma opção lhes dá verdadeira confiança. Alguns casamentos modificam os turnos de trabalho para que possam ser complementados e a criança esteja sempre com um dos pais.

O problema é que a perspectiva do casal não deve ser perdida de vista, ou seja, o cuidado dos menores não pode rebater o vínculo entre pai e mãe que deixaria de passar tempo juntos.

A opção dos centros de Educação infantil É um dos mais usados. Os controles administrativos garantem que as crianças estejam em espaços adequados, acompanhados por pessoal qualificado em todos os momentos. Mas eles não são baratos. Para acessar um centro público, você deve solicitar um lugar no momento em que o registro é aberto. E em muitos privados não é tão simples encontrar um buraco. As chamadas "mães do dia" estão se tornando moda, mulheres que recebem um pequeno grupo de crianças em casa e cuidam delas em um ambiente familiar. Apresenta benefícios, mas ainda não há legislação específica que regulamente essa atividade.

Os pais devem decidir se é mais confortável para o centro estar perto de sua casa, para que a criança não esteja lá o tempo suficiente para chegar, ou perto de seu trabalho, para que os pais possam comparecer em caso de emergência e horários. os preços ajustam-se tanto quanto possível ao trabalho. Além disso, uma série de considerações deve ser levada em conta antes de escolher. Em qualquer caso, se os pais optarem por uma creche, eles terão que considerar de antemão como eles resolvem o inesperado, como as possíveis doenças com as quais a criança está infectada durante o curso.

Para evitar este problema, uma opção é contratar um cuidador, babá ou babá. É importante que alguém seja confiável, que as recomendações de outras famílias sejam bem estudadas e, na medida do possível, que os pais reservem. alguns dias para poder viver com essa pessoa antes de voltar ao trabalho. A parte positiva é que, além de cuidar dos filhos, eles ajudam nas tarefas domésticas e na culinária.. Quanto ao custo, se houver mais de um bebê em casa, pode ser mais lucrativo contratar uma pessoa. Existem algumas empresas que lidam com a formação e gestão de trabalhadores domésticos.

Se os membros da família são usados ​​para ajudar com o cuidado das crianças, especialmente os avós, é fundamental que todos definam seu papel para que não haja mal-entendidos com questões educacionais.Os avós não podem ser solicitados a cuidar dos netos gratuitamente e, além disso, exigir a forma como devem fazê-lo. Isso poderia causar tensões intergeracionais que são prejudiciais para a vida familiar.

A questão da amamentação

Numerosas pesquisas científicas endossam os benefícios da amamentação durante a alimentação com o chamado leite em pó. É por isso que, para muitas mães, é difícil começar a trabalhar e, ao mesmo tempo, ser forçado a remover o peito dos bebês. Um sistema que é facilmente compatível com os horários de trabalho consiste em introduzir o leite de continuação nas fotos em que a mãe está trabalhando e mantendo a mama na primeira da manhã e a última da noite. Desta forma, o bebê ainda está imunizado.

A mãe não deve ter medo de perder leite retirando algumas das ingestões. Se feito corretamente, o corpo adapta a produção de leite a circunstâncias específicas. De fato, a quantidade e o ritmo da produção de leite variam naturalmente nos primeiros meses.

Se a mãe é forçada a viajar ou seus horários estão mudando, será mais complicado manter esse sistema. Uma opção, se realizada com previsão suficiente, é armazenar as reservas de leite materno congeladas que irão descongelar à temperatura ambiente à medida que forem necessárias. E se nenhuma dessas rotas fosse possível, como explica a pediatra Pilar Alemán, do Centro de Saúde Trafalgar, em Valência, não há razão para se sentir culpado por optar por leite em pó quando outras possibilidades não são funcionais.

O apego é garantido

Nenhum pai deve pensar que, ao não gastar 24 horas por dia com o filho, isso gerará um problema de apego. Embora não haja dúvidas de que grande parte do vínculo de apego entre pais e filhos depende do tempo compartilhado pela família, não é menos verdade que há muitos momentos ao longo do dia em que esse apego não é formado.

Às vezes vale a pena calcular o tempo real que separamos de um bebê para relativizar o retorno ao trabalho. Se subtrairmos o cochilo pela manhã e à tarde, a caminhada (onde eles não nos veriam em qualquer caso) e a mamadeira, onde o importante é garantir sua comida, não há tantos minutos que os pais trabalhadores estejam ausentes.

Nessas etapas, pode ser muito útil ordenar corretamente os tempos, de modo que o dedicado às crianças seja 100%. Além disso, os espaços devem ser reservados como uma família e evitar o sentimento de culpa, tanto no trabalho quanto em casa, marcar a qualidade desses momentos. Os pais calmos transmitem muito mais amor aos filhos e apóiam melhor o apego do que os pais com mais tempo, mas mais irascíveis.

Alicia Gadea

Vídeo: Mentalize e Escolha Uma Carta Tema: [Meu Amor Volta ?]


Artigos Interessantes

Dicas para escolher o nome do bebê

Dicas para escolher o nome do bebê

Você está esperando por um bebê e ainda não sabe qual nome colocar? Escolher o nome de nossos filhos nem sempre é uma tarefa simples. Existem inúmeros guias na Internet que podem nos inspirar, mas o...

Trauma: o que pode causar um trauma e por quê?

Trauma: o que pode causar um trauma e por quê?

Todos, em maior ou menor medida, mais ou menos conscientemente, vivemos situações que deixaram sua marca em nós. O problema aparece quando esse traço nos impede de levar uma vida normal, nos causa...

A venda de livros infantis ressurge

A venda de livros infantis ressurge

O que você dá a ele? Entre as propostas de presentes para nossos filhos, os melhores são sempre educativos e, dentro deles, os livros. Um pensamento que cada vez mais se estende entre os pais, pelo...