Dança: isso beneficia nosso cérebro

O dançar é uma característica da humanidade que tem inúmeros benefícios para o cérebro. A pesquisa mais recente afirma que a dança estimula a atenção, a memória, a coordenação e a consciência espaço-temporal. O dançar ativa os circuitos neuronais motores e sensoriais, enquanto a música estimula os centros de recompensa do cérebro.

Graças ao avanço das técnicas de neuroimagem, começamos a estudar como os seres humanos são capazes de controlar os passos em um espaço específico, como podemos aprender coreografias complexas ou como podemos acompanhar o ritmo.

Dança e patologias neurológicas

A dança é benéfica para a nossa saúde, mas também pode ser benéfica para aqueles que sofrem de uma patologia neurológica. "Embora muito ainda precise ser estudado, a pesquisa que tem sido feita a esse respeito determinou que a dança, do ponto de vista neurológico, é um processo complexo no qual circuitos neuronais motores e sensoriais são ativados enquanto a música estimula os centros de recompensa do cérebro ", explica o Dr. Pablo Irimia, membro da Sociedade Espanhola de Neurologia (SEN).


"Também foi determinado que enquanto algumas áreas do cérebro são responsáveis ​​pela orientação do corpo e nos permitem mover-se no espaço na direção certa, há outras que nos fazem sincronizar nossos movimentos com a música", acrescenta Dr. Pablo Irimia.

Graças às diferentes técnicas de neuroimagem, os neurologistas conseguiram identificar várias regiões do cérebro envolvidas na dança:

- o lobo frontal é responsável pelo planejamento do movimento
- o córtex pré-motor e a área motora suplementar eles cuidam da nossa posição espacial e nos permitem lembrar de ações anteriores
- o córtex motor primário envia instruções para os músculos
- o cerebelo e gânglios Os níveis basais nos mantêm em equilíbrio e permitem a sincronização do movimento.


A dança e a coordenação necessária dos movimentos

O movimento coordenado das partes do corpo e o alinhamento adequado do corpo favorecem o funcionamento correto dos diferentes sistemas do organismo, especialmente o sistema nervoso que é responsável, entre outras coisas, por criar os processos necessários para produzir movimento.

"Quando dançamos ou fazemos outro tipo de exercício físico, estamos trabalhando e estimulando diferentes áreas do cérebro, e no paciente neurológico alguns estudos observaram um duplo benefício da dança: de um lado, o efeito positivo da realização de exercício físico, como em qualquer pessoa saudável, e por outro, estimulam as áreas do cérebro que facilitam o equilíbrio e a coordenação do movimento ", diz o Dr. Pablo Irimia.

O exercício físico que ocorre quando se dança poderia contribuir para reduzir o risco de desenvolver doenças como hipertensão, diabetes, depressão, obesidade e ajudaria a reduzir o estresse. Portanto, dançar poderia diminuir o risco de diferentes doenças neurológicas, como derrame ou demência, tanto da doença de Alzheimer quanto da demência vascular.


Além disso, como as alterações motoras são um dos sintomas mais importantes e que mais afetam a qualidade de vida em muitas das doenças neurológicas, alguns especialistas afirmam que a dança pode ajudar na reabilitação de patologias como a doença de Parkinson em fases. iniciais e reduzir o risco de quedas em idosos.

Marisol Nuevo Espín
Conselho: Dr. Pablo IrimiaMembro da Sociedade Espanhola de Neurologia (SEN)

Vídeo: O que a música faz com o nosso cérebro?


Artigos Interessantes

Pare de cyberbullying: 63% aconselham contar

Pare de cyberbullying: 63% aconselham contar

Coloque um freio cyberbullying É o objetivo no presente. Para enfrentar este grave problema social entre adolescentes e jovens, é necessário conscientizar sobre o problema e buscar soluções de baixo...

Como fascinar adolescentes lendo

Como fascinar adolescentes lendo

O lendo mobiliza e treina as qualidades de inteligência e sensibilidade. Despertar o interesse dos adolescentes lendo isso os ajudará a discernir valores morais e estéticos, desde que os coloquemos...

Este Natal, vamos ao cinema!

Este Natal, vamos ao cinema!

Neste Natal você pode tentar escolher um bom filme para ir ao cinema com toda a família. Depois, você pode ir ter um hambúrguer todos juntos, ou um sanduíche, sanduíche, etc, logo após a sessão. Ou...