As crianças acreditam em tudo que lêem na Internet

Nós falamos sobre o 'nativos digitais referir-se àquelas pessoas que cresceram cercadas por dispositivos eletrônicos e, portanto, dominá-las. No entanto, saber navegar na Internet não significa saber como fazê-lo bem: sSegundo um estudo, as crianças acreditam em tudo que lêem na Internet.

A pesquisa, desenvolvida pelo regulador da indústria de mídia do Reino Unido, Ofcom, garante que nos últimos anos o número de crianças que acreditam em tudo que lêem no Google e nas redes sociais dobrou.

Crianças britânicas com idades entre 8 e 15 anos gastam o dobro do tempo na Internet, como fizeram neste entretenimento há apenas uma década, como refletido no estudo e menciona o jornal do Reino Unido. O telégrafo, que ecoou a notícia.


Desconhecimento das crianças pela Internet

O estudo adverte que as crianças passam muito tempo na Internet e não têm conhecimento suficiente para discernir quais informações elas lêem na web são verdadeiras ou imparciais. Em particular, quase 10 por cento das crianças acreditam que tudo o que vêem nas redes sociais ou nas aplicações é reale a grande maioria deles não sabe que os "blogueiros" podem estar recebendo dinheiro pelo conteúdo que eles enviam para a nuvem.

Entre os resultados de seu estudo destaca ainda que quase um quinto das crianças entre 12 e 15 anos acredita que as informações que aparecem nos mecanismos de busca como o Google 'devem ser verdadeiras', mas apenas um em cada três é capaz de identificar conteúdo pago que aparece nesses sites.


O estudo também descobriu que o número de crianças que vão ao YouTube está aumentando para encontrar informações "verdadeiras e precisas" sobre o que acontece no mundo. Na verdade, oito por cento dos jovens usuários da Internet mencionam essa plataforma para compartilhar vídeos como sua opção preferida de aprender, uma porcentagem que aumentou: o ano passado foi de apenas três por cento.

Conteúdos do Youtube para menores

Apesar do alto uso do YouTube por crianças, o estudo diz que apenas metade das crianças entre 12 e 15 anos que usam essa plataforma estão cientes de que os anúncios são a maior fonte de renda do site. Além disso, menos da metade sabe que os blogueiros nessa rede geralmente recebem dinheiro em troca de menções de produtos em seus vídeos.

Outros dados mencionados no estudo asseguram que 34% das crianças entre 12 e 15 anos de idade que usam o Youtube dizem que estar online as ajuda a serem "elas mesmas". Nessa pergunta, 35% dos entrevistados não concordaram, enquanto 31% não tinham certeza se o YouTube os ajudava a ser eles mesmos ou não.


Comportamentos online das crianças

O estudo desta organização britânica também quis saber quais são os comportamentos dos menores quando estão online. Os autores descobriram que quase três quartos das crianças mais velhas consideram que as pessoas se comportam de maneira diferente quando estão conectadas.

Por sexo, foi determinado que 67 por cento das meninas vêem essa mudança de atitude quando estão on-line, uma porcentagem que é de 52 por cento no caso dos meninos.

Quase um terço dos entrevistados estava ciente de que as pessoas usam esse meio de comunicação para lançar rumores ou fofocas, e um quarto deles disse que muitas pessoas são imprudentes ou mal educadas nas redes sociais.

Por outro lado, vale ressaltar que muitas das crianças demonstraram preocupação em passar muito tempo em frente às telas. Especificamente, 10% dos entrevistados disseram que não gostavam de passar tanto tempo na Internet, e quase um terço das crianças admitiu que passaram muitas horas nas redes sociais.

Angela R. Bonachera

Vídeo: Francisco Macau - O Deus da comédia


Artigos Interessantes

10 jogos para ver como uma família

10 jogos para ver como uma família

O teatro É uma maneira imbatível de preencher o tempo de lazer com a família e os filhos. Assistir às estreias de teatro é uma atividade cheia de vantagens, inclusive permitindo deixe voar a...

Problemas de linguagem em crianças: sinais de alarme

Problemas de linguagem em crianças: sinais de alarme

A linguagem é uma característica da espécie humana. Para o seu desenvolvimento, são necessárias uma série de habilidades e habilidades que estão ligadas ao desenvolvimento psicomotor, psicológico e...