Violência no mundo: por que existem guerras?

Crianças menores de 10 anos não têm capacidade suficiente para assimilar todos os violência no mundo, o guerras e as tragédias que a notícia mostra e que ele ouve na rua. Mas é verdade que nós não temos que esconder a realidade. Os pais têm que explicar que no mundo há sofrimento e ajudá-los a refletir, mas sem drama, com esperança e otimismo.

Como as crianças recebem informações sobre violência no mundo

As reações das crianças a situações de violência no mundo variam de acordo com a idade, temperamento, família e circunstâncias pessoais.

Situações de grande tensão podem produzir em crianças agressividade, hipersensibilidade, retraimento, mau desempenho escolar, distúrbios do sono, urinar dia ou noite, parar de brincar etc. Por estas razões, devemos estar muito atentos ao modo como nossos filhos recebem e percebem a violência do mundo.


Às vezes, devido a circunstâncias diferentes, a violência na forma de atentados, bombardeios ou guerras pode causar um sentimento de angústia e desconfiança a nossos filhos: medo de morrer ou de um ente querido morrer, incerteza, medo, ódio, vingança, desespero. A menos que tenhamos nosso filho protegido em uma bolha de vidro (o que seria contraproducente), eles descobrirão o que está acontecendo no mundo.

Às vezes, será porque ele ouviu um amigo, outras vezes, porque viu algumas imagens na televisão que, para nós, não eram tão fortes, mas que ele ficou impressionado e impressionado. Portanto, devemos ter muito cuidado com as notícias e as notícias, e certos filmes de guerra e violentos.


Eles também recebem informações através de conversas que envolvemos com nosso cônjuge ou com nossos filhos mais velhos, ou quando eles estão envolvidos em conversas "mais antigas".

Dicas para lidar com a questão da violência no mundo

Explique às crianças o violência no mundo, por que existem guerras? Por que existem ataques? Por que nos matamos uns aos outros? Não é uma tarefa fácil para os pais. Aqui estão algumas dicas:

- Seu filho procura tranquilidade, mas ele também é capaz de resistir à adversidade. Portanto, lembre-se de que o mais importante é conversar com ele, ouvi-lo, observar seus sentimentos e transmitir uma sensação de segurança, paz e otimismo. Se você os vê angustiados ou pessimistas, você os transmitirá da mesma forma.

- Antes da violência do mundo, temos que nos contrapor com valores positivos: como respeito pela vida, igualdade, solidariedade. Pense com eles sobre como a família pode contribuir para evitar o mal: patrocinar uma criança, economizar dinheiro para ajudar uma família carente, entregar um novo brinquedo para crianças com menos possibilidades, etc.


- Leve em consideração jogos infantis, conversas e desenhos. Isso nos permitirá saber como eles percebem e imaginam a situação de violência no mundo atual. Está ajudando você a externalizar seus medos.

- Evita que você receba muitos estímulos negativos da televisão, Especialmente quando você vai para a cama, não é superprotetor, está ajudando você a receber as informações em seu tempo e na sua idade.

Gisela Zapata Psicoterapeuta
Conselho: Carlos Goñi e Pilar Guembe, professor e pedagogo, e autores do livro É fácil ser pai!

Mais informações no livro Liberdade e tolerância em uma sociedade plural. A arte de viver. Autor Alfonso Aguiló.

Vídeo: A violência no Brasil explicada por Sergio Adorno | Entrevista Completa


Artigos Interessantes

Efeitos da depressão materna no bebê

Efeitos da depressão materna no bebê

Após 9 meses de espera, finalmente, o bebê nasce e a mãe se sente triste. Uma depressão emocional em que deveria haver felicidade ao dar à luz é o sinal que indica que algo não está certo. E é queUma...

As dificuldades de ser mãe solteira

As dificuldades de ser mãe solteira

Ter um filho é uma experiência única e maravilhosa que muda completamente a vida. Hoje há muitas mães que, devido a diferentes circunstâncias, separação, abandono do casal, por sua própria escolha,...

Dislexia: 10 chaves para evitar o fracasso escolar

Dislexia: 10 chaves para evitar o fracasso escolar

Vamos imaginar que tentamos ler um texto ou uma frase simples e as letras começam a se mover e mudar de posição, seria muito difícil para nós entender cada palavra e mais ainda o texto completo. Algo...