40% da felicidade da criança depende dos pais

A felicidade, assegurada numerosos estudos científicos, é determinada em 50 por cento pela genética, em 10 por cento pelas circunstâncias externas ou pelo contexto e em 40 por cento depende de nós, de atividades intencionais e emocionais que nos levam a Ser feliz.

Os psicólogos Alejandra Vallejo-Nágera e Silvia Álava, dois dos mais renomados especialistas em psicologia infantil, Escola do Conselho Britânico reuniu-se no II Conferência sobre Educação para o Bem-Estar da Criança, reconhecer que "os pais podem aumentar em até 40% a felicidade das crianças, sem lhes dar exatamente tudo o que elas pedem".


O segredo da felicidade das crianças

Ambos os especialistas concordam que "o segredo está em educar as crianças em valores, fornecendo-lhes as ferramentas emocionais e as diretrizes educacionais necessárias que lhes permitam desenvolver, explorar, superar seus erros, ser autônomas, seguras, capazes e, finalmente mais feliz. "

Carregando o vídeo ....

1. Eduque em valores. A psicóloga Alejandra Vallejo-Nágera explica que "os valores são os princípios básicos da educação das crianças: lealdade, flexibilidade, motivação, empatia, esforço, capacidade de recuperação após o fracasso, etc. E, as principais referências para transmitir esses valores valores são precisamente os pais ".


Por seu lado, a psicóloga Silvia Álava insiste que "os valores são ensinados pelo exemplo, ensinamos aos pais o nosso comportamento porque os valores são o motor do nosso comportamento". Entre os valores mais importantes que podem ser ensinados às crianças destacam-se humildade (ninguém é mais do que ninguém), compromisso, gratidão, amizade, paciência (as coisas nem sempre saem pela primeira vez) ou responsabilidade (assumindo as conseqüências) ".

A relação entre os pais e a escola também é essencial quando se ensina valores para crianças e ambos os psicólogos concordam com a importância do papel dos professores. "Embora os pais sejam responsáveis ​​por instilar valores, se também for feito na escola, será mais fácil para as crianças", diz Silvia Álava. Neste sentido, a diretora da British Council School, Gillian Flaxman, afirma que "da escola queremos promover iniciativas como esta Conferência para facilitar o apoio entre a escola e a casa, porque compartilhamos a responsabilidade que os líderes de amanhã são pessoas As crianças estão em nossas salas de aula por 15 anos, de 3 a 18 anos e, quando saem, fazem isso com muitos dos valores que lhes foram inculcados por meio de um amplo programa de atividades. "


2. Estabelecer normas e limites. Os benefícios de estabelecer regras e limites para as crianças em casa são múltiplos. Entre os destaques que dão às crianças sentimentos de segurança e proteção, graças a elas as crianças estão criando suas próprias referências, adquirindo padrões do que é válido e o que não está de acordo com sua própria escala de valores. Eles também ajudam a alcançar uma coexistência organizada e promover o respeito aos outros e a si mesmo.

A psicóloga Silvia Álava considera que a existência de normas e limites é outra das importantes diretrizes educacionais para aumentar a felicidade dos pequenos e acrescenta que "as normas não anulam a personalidade das crianças e servem para desenvolver seu autocontrole". nos obriga a sermos congruentes e a estabelecer conseqüências tanto positivas, através do prêmio, quanto negativas, quando isso não é feito ".

3. Evite a superproteção. Estudos realizados por diferentes especialistas mostram que as crianças que são protegidas e cuidadas em excesso não desenvolvem adequadamente suas capacidades ou assumem suas responsabilidades correspondentes devido à presença constante de seus pais. Alejandra Vallejo-Nágera fala em superproteção como um dos erros mais comuns dos pais e garante que "as crianças precisam resolver o maior número possível de problemas e o mais rápido possível". Na mesma linha, Silvia Álava adverte que "quando superprotegemos, as crianças desenvolvem menos competências emocionais, porque o caminho é tão fácil que as crianças não precisam fazer nenhum esforço, tornando-as mais inseguras, porque precisarão sempre de um adulto". e, a longo prazo, eles se sentirão mais infelizes ".

Marisol Novo

Você também pode estar interessado:

- Crianças felizes, os espanhóis 4º no ranking

- 4 dicas para evitar a superproteção infantil

- Crianças, cada vez mais estressadas pela pressão dos pais

Vídeo: PSYCHOTHERAPY - Donald Winnicott


Artigos Interessantes

Exames pré-natais, o que você precisa saber?

Exames pré-natais, o que você precisa saber?

Quão bonita é a experiência de gravidez, mas quantas perguntas não respondidas. Quando recebemos a notícia de que um novo membro está prestes a vir para a família, não é dado um livro de instruções....

Seus pés em boas mãos: chaves para pedicuro infantil

Seus pés em boas mãos: chaves para pedicuro infantil

A saúde dos nossos pés é uma parte essencial do nosso corpo. Por que isso é tão importante? Quais são os cuidados básicos que devemos ter sempre em mente? Quando vamos levar as crianças ao podólogo?...

Alimentos para prevenir e combater a anemia

Alimentos para prevenir e combater a anemia

O anemia É uma doença que causa fadiga e falta de energia. O responsável por esses sintomas é o falta de ferro, um mineral essencial para o bom funcionamento do corpo e que é necessário para a...