Como ensinar as crianças a expressar suas emoções

Manifestar sentimentos é um hábito muito saudável, que também é aprendido e educado. Mas como podemos Ensine as crianças a expressar suas emoções e controlá-los ao mesmo tempo? Um momento-chave na aquisição da autorregulação emocional ocorre após o início da linguagem e das alterações cognitivas associadas.

Nesta fase, as crianças podem agora expressar mais claramente emoções e, portanto, estar mais consciente do que acontece com eles. Uma diretriz importante é que os pais ajudem a colocar em palavras o que as crianças sentem naqueles momentos ("o que acontece é que você fica zangado por não conseguir abrir a tampa ...") ou os próprios pais ("agora o pai é zangado com você porque ... "). Identificar os estados emocionais e saber como expressá-los verbalmente é um passo fundamental para o autocontrole subsequente.


O desejo da criança de autonomia na auto-regulação emocional

Também nesse estágio, o desejo de autonomia da criança começa mais claramente. O "eu sozinho" implica a necessidade de distanciar-se dos pais para ganhar autonomia. Os acessos de raiva, mais frequentes nessas idades, podem ser entendidos como o contraste entre o desejo de tomar suas decisões, com a imaturidade de tolerar emocionalmente os primeiros limites contrários às suas pretensões. Ajudar as crianças a lidar com esses episódios é outra peça fundamental no processo de amadurecimento de sua capacidade de autorregulação.

Limites claros, essenciais para as crianças


Os limites claros e proporcionais são fundamentais neste estágio. Estilos educacionais superprotetores (carentes de limites) não facilitariam a experiência da criança de tolerar a frustração ou o desconforto e recuperar o controle emocional depois de não conseguir atingir seu objetivo, pois só aprenderiam a se acalmar com a realização de seus desejos.

Por outro lado, estilos educativos excessivamente autoritários também não facilitariam a regulação emocional, embora aparentemente a criança não tenha birras (não é alterada se um limite é imposto), não o faz porque adquiriu controle emocional, mas porque aprendeu a se expressar emocionalmente ele é punido. Essas crianças costumam apresentar uma grande insegurança (já que só fazem o que se espera delas sem saber como tomar suas próprias decisões) e correm o risco de apresentar no futuro uma incapacidade importante para o manejo emocional, geralmente acompanhada de quadros de ansiedade.


Aproveite as birras para trabalhar na auto-regulação emocional

Aproveitar essas birras para trabalhar com estratégias de autorregulação de crianças é muito útil. Quando as birras ocorrem, a criança pode ser levada para longe do local onde foi perturbada e tentar ajudá-la a se acalmar em um canto da casa (pode ser chamado de "o canto da paz ou tranquilidade"). Uma vez tranqüilizado, você pode argumentar com eles e ajudá-los a expressar verbalmente o que aconteceu. Repetir essas diretrizes rotineiramente ajudará a criar estratégias internas de autorregulação na criança.

À medida que a criança cresce - e entra na escola e no mundo social - encontrará novas situações para aprender a regular emocionalmente. É importante lembrar que, para alcançar a maturidade emocional, cada criança segue seu próprio curso. O que alguns conseguem rapidamente, outros conseguem com mais esforço. O fundamental é perseverar e ajudá-los a pensar que os estamos preparando para a vida adulta.

<

Vídeo: Todos Nós Já Nascemos Com Emoções!


Artigos Interessantes

AEP publica seu guia prático para pais on-line

AEP publica seu guia prático para pais on-line

A Associação Espanhola de Pediatria AEP coloca nas mãos de todas as famílias um Guia prático para pais, desenvolvido em colaboração com Dodot, que pretende ser um livro completo de consulta das...