A importância de frequentar a escola

Na sala de aula, um atenção exaustiva tanto por parte do aluno como por parte dos educadores. Como os alunos, estando atentos ao que é dito em sala de aula, permitem que as crianças compreendam todos os conceitos para desenvolver mais tarde, à sua maneira.

Um grau de atenção máxima dos educadores também permite detectar o grau de desenvolvimento dessas inteligências em cada aluno, a fim de descobrir forças pessoais e apoiar a aprendizagem nelas. Esse é o grande desafio de uma verdadeira educação personalizada. Prepare cada aluno para se tornar inteligente, de acordo com suas próprias habilidades, colocando todos os seus recursos em risco.


Este seria o primeiro grande passo do professor: atender ao modo de trabalhar e aprender que cada aluno demonstra, a fim de determinar quais inteligências ou inteligências estão presentes em um maior grau de desenvolvimento, a fim de usá-las como trampolim de aprendizagem.

Inteligências múltiplas na sala de aula

Como fazemos? Como no início de cada ano letivo, aplicamos uma avaliação inicial aos alunos para nos ajudar a determinar o ponto de partida em nossa programação. Existem teste de inteligências múltiplas que, a priori, nos permitem traçar um perfil individual e personalizado a partir do qual podemos começar a propor atividades relacionadas a cada aluno. A observação direta e indireta das crianças, ao realizar as atividades, completará este perfil.


Nós devemos Otimize seus recursos individuais ao máximo, estimulando as diferentes inteligências múltiplas. As atividades devem ser planejadas para reconhecer as diferentes inteligências, despertá-las, desenvolvê-las e utilizá-las para alcançar uma compreensão real dos conteúdos curriculares.

Uma criança que não é boa em matemática mas que, no entanto, possui enormes habilidades artísticas é menos inteligente? Ou o sistema educacional é projetado de forma que apenas certas inteligências brilhem? Os agentes que participam da educação sabem reconhecer as diferentes inteligências e aproveitar todo o seu potencial? O desafio é grande, mas os resultados são muito promissores.

Inteligência e sua quebra nas capacidades

Howard Gardner, autor da teoria das inteligências múltiplas, defende o colapso do conceito de inteligência tradicional como um todo unitário no nível cognitivo e a mensuração através do quociente intelectual em oito grupos de habilidades ou talentos, que a pessoa desenvolve em maior ou menor grau. Cada indivíduo é capaz de conhecer o mundo de oito maneiras diferentes: através da linguagem, raciocínio matemático, visão espacial, pensamento musical, o uso do corpo para resolver problemas, conhecimento e empatia com os outros, aprendendo com base no método científico e conhecimento e controle de nós mesmos. O grau de maturidade dessas habilidades é o que realmente nos diferencia e o que determina o nível e a capacidade de resolver vários problemas em situações complexas.


O sistema de ensino deve contemplar essa nova visão que necessariamente implica uma educação personalizada: nem todos os nossos alunos aprenderão da mesma forma e com as mesmas estratégias educacionais. É errado reconhecer os alunos como mais ou menos inteligentes, na verdade eles são 'inteligentemente diferentes', o que expande a capacidade pedagógica dos professores. A novidade é que, sem negar o fator hereditário, essa teoria admite e defende que essas inteligências, sendo habilidades, podem ser "treinadas".

Se citarmos Gardner definindo inteligência como a capacidade de resolver problemas em diferentes contextos, pode-se deduzir que o trabalho do professor é apresentar aos alunos situações em que possam desenvolvê-lo convenientemente. O ensino deve ser personalizado e dar a possibilidade de escolha para cada aluno descobrir suas inteligências mais fortes e, portanto, escolher o caminho que é mais apropriado para o aprendizado.

Temos uma enorme responsabilidade de ajudar as crianças a descobrir seu potencial. Para implantar nos centros educacionais, a cultura das múltiplas inteligências supõe um desafio fácil. Inclui uma importante mudança nos pilares do currículo educacional: programação, metodologia e avaliação, já que a metodologia não é tudo se não estiver vinculada à aprendizagem. Como base para essa aplicação da teoria das inteligências múltiplas funcionar nas salas de aula, é essencial criar nelas um clima de afetividade e confiança.

Sara Lladó. Professor e Coordenador Primário no Colegio Orvalle

Vídeo: A REAL IMPORTÂNCIA DA ESCOLA NA VIDA DE UMA CRIANÇA


Artigos Interessantes

Vantagens e desvantagens do co-sleeping

Vantagens e desvantagens do co-sleeping

É na mente da maioria das pessoas que dormir com um bebê é perigoso; Todos nós já ouvimos falar de alguém que morreu enquanto estava na cama de seus pais E se eu o esmagar? E se sufocar? Muita...