Aprenda a ser responsável

Entre 6 e 12 anos das crianças, isto é, durante a Educação Primária, temos que encorajar nossos filhos a aprenderem a ser responsáveis ​​para que pensem em cada ação, vejam os prós e contras e façam uso de sua liberdade, escolha o que é melhor para você, não o que você mais quer.

O medo da responsabilidade supõe uma visão desfocada da liberdade, não reconhecendo que os compromissos vinculam, mas ao mesmo tempo protegem. Aprender a ser responsável significa assumir que os compromissos são bons, eles nos amadurecem e nos proporcionam a alegria de sermos consistentes com nossas decisões, apesar do esforço que elas envolvem.


Como desenvolver responsabilidade em crianças?

1. Melhorando sua capacidade de auto direcionar, deixando-os para agir com autonomia e iniciativa ao confiar-lhes responsabilidades.

2. Dando-lhes respostas com frequência então eles sabem como estão fazendo isso, reconhecendo Manifesto maneira o bem feito, de tal maneira que gere sua própria satisfação.

3. Ajudá-los a refletir e pensar tornando-os conscientes das consequências de suas ações. O objetivo da educação das virtudes é precisamente o de integrar a razão, a vontade e o sentimento, em cada performance da pessoa.

4. Conversando com eles, uma vez que são muito pequenos e tornando mais fácil para eles ouvi-los sozinhos, com escuta ativa. A comunicação familiar e o diálogo são um pilar fundamental que facilita a proximidade das crianças com um clima de confiança, onde elas deixam suas histórias.


5. Com tarefas específicas que exercem responsabilidade:
- Ter ordens que facilitem a unidade familiar e um clima positivo, relacionado ao bom funcionamento da casa, graças ao esforço de cada um para cumpri-lo bem e dentro do prazo.
- Cuide das suas coisas, como preparar sua mochila, suas roupas, sua mala de viagem ...
- Encomende o seu quarto, inclusive fazendo uma cama.
- Ter e cumprir um cronograma de estudo, em um ambiente tranquilo que facilita um trabalho bem feito.
- Cuidar de um bebê ou irmão menor.

A criança obediente nem sempre é responsável

É verdade que, muitas vezes, quando as crianças aprendem a ser responsáveis, a responsabilidade é confundida com a obediência, já que executar ordens não significa ser responsável. Às vezes, quando é obedecido, pode ser feito para agradar a outra pessoa, evitar punições, obter um privilégio, etc. Aqui, tanto a motivação quanto a decisão são externas à criança. No entanto, a pessoa age com responsabilidade quando decide o que fazer e se motiva a fazê-lo, o que implica uma aceitação pessoal e livre, com uma motivação interna para realizar a referida ordem.


Quando as crianças não agem por causa de obrigações impostas, elas não experimentam sucesso ou fracasso como consequência da decisão pessoal tomada que as leva a se comprometer com a responsabilidade. E tanto o certo quanto o errado são necessários para ser responsável.

Por exemplo, quando confrontados com quaisquer meios tecnológicos - as TIC - vemos apenas os riscos e perigos destes e proibimos as crianças sem raciocinar por isso, ou ensinamo-las a usá-las de forma responsável e livre, mostrando-lhes as vantagens que têm, bem como os seus riscos e perigos. As crianças podem obedecer por obrigação; mas à medida que crescem e chegam à adolescência, não compreendem a nossa proibição para as TIC, ficam curiosos e de um jeito ou de outro (quando estão sozinhos em casa, quando vão a um amigo, um colega de turma que pega um telemóvel inteligente uma série pela Internet ...) acabará vendo e / ou usando-os por curiosidade natural, sem conhecer nossos critérios e deixando-se levar pela dos amigos.

Fátima Calçado
Conselheiro: María Cervera Gil. Psicopedagogia e Conselheiro Familiar

Vídeo: AUTO RESPONSABILIDADE - COMO SER RESPONSÁVEL DIANTE DA VIDA E NÃO CULPAR OS OUTROS TRAZ RESULTADOS


Artigos Interessantes

AEP publica seu guia prático para pais on-line

AEP publica seu guia prático para pais on-line

A Associação Espanhola de Pediatria AEP coloca nas mãos de todas as famílias um Guia prático para pais, desenvolvido em colaboração com Dodot, que pretende ser um livro completo de consulta das...