Distimia, quando a depressão se torna crônica

O depressão É um dos distúrbios que mais afetam a casa. Mergulhar neste estado de tristeza e melancolia é um golpe para qualquer família, mas infelizmente esta doença é atualmente uma das mais comuns no mundo e desde que a OMS se destaca como uma das deficiências mais disseminadas no mundo . Em alguns casos depois de um tempo de terapia e suporte entre todos acaba acontecendo.

Em outros, piora e acaba se tornando crônica. Uma situação que é conhecida como distimia, isto é, a depressão que se torna permanente e altera o estado da casa de maneira notória. Uma tipologia que, embora possa manifestar sintomas menos graves, o seu prolongamento no tempo faz com que seja uma situação séria para todos que a atravessam.


Definição de distimia

Desde a Clínica Mayo distimia é definida como "transtorno depressivo persistente, uma forma de depressão contínua e de longo prazo". Essa entidade indica como sintomas mais comuns a perda de interesse nas atividades normais da vida, sentimento de desesperança, baixa produtividade e motivação para cumprir obrigações e baixa autoestima.

Cansaço repentino e fadiga também estão relacionados à distimia, bem como irritabilidade constante que pode acabar criando uma lacuna entre os membros de uma casa. Essa é outra característica desse distúrbio, o gradual isolamento da pessoa que sofre dessa depressão crônica e sua distância emocional dos membros de sua própria família.


Como explicado a partir Distimia.orgEmbora os sintomas sejam menos severos e agressivos do que em outros tipos de depressão, seu prolongamento ao longo do tempo pode ter sérias consequências tanto para a pessoa quanto para o seu círculo:

- Redução da qualidade de vida, a tristeza constante faz com que a pessoa negligencie outros aspectos como o lazer ou a própria saúde.

- Depressão grave, sensação de aumento da tristeza e agravamento dos sintomas.

- Tendência a abuso de álcool e outras substâncias, algo que se torna muito perigoso no caso de adolescentes.

- Dificuldades nos relacionamentos. O distanciamento emocional leva a conflitos familiares e a uma tendência ao isolamento social progressivo.

- Problemas no trabalho ou na escola que podem traduzir-se na perda de emprego ou na repetição do curso no caso de estudantes.


Diagnóstico e tratamento

Se algum destes foi apreciado sintomas Na pessoa, será importante ir ao especialista para realizar um exame do paciente e determinar se é realmente um caso de distimia ou se é uma sensação de tristeza passageira como resultado do estresse diário. Neste caso, o psicólogo perguntará sobre a situação, sobre como eles começaram e sua agressividade.

Da mesma forma, também será entrevistado com a família para determinar como esta situação afeta sua vida diária e se houve problemas semelhantes no passado ou na história da família. De Distimia.org explica-se que esta desordem tem um caráter hereditário em alguns casos portanto é necessário prestar a atenção especial nestes casos. Uma vez obtido o diagnóstico, o tratamento começará.

O mais comum é o início de uma terapia com psicólogo onde as experiências da pessoa serão compartilhadas e sua vida será discutida. O objetivo é encontrar a causa da distimia e iniciar um tratamento contra ela. Em outras situações, o especialista pode recomendar o uso de drogas:

- Inibidores seletivos da recaptação da serotonina, mais comuns e com efeitos colaterais menos graves.

- Inibidores da monoamina oxidase menos utilizados devido aos seus efeitos secundários graves

- Inibidores da recaptação de serotonina e norepinefrina

- antidepressivos tricíclicos.

Prevenção da distimia

O melhor tratamento da distimia é a sua prevenção, algo que, embora não seja possível, pode ser feito quando há um caso de risco:

- Arredores Um ambiente de estresse constante pode mergulhar a pessoa nessa situação e fazer com que esses sintomas apareçam.

- Eventos violentos. Perda de um ente querido, despedimento do trabalho, intimidação.

- História familiar de distimia ou qualquer outra forma de depressão.

Nestes casos, a prevenção da distimia envolve:

- Práticas de controle de estresse e técnicas de relaxamento.

- Detecção precoce de possível bullying escolar.

- Criação de um ambiente de apoio familiar, onde todos sentem que têm alguém ao seu lado para ajudá-los.

- prática de exercícios de rotina.

Damián Montero

Vídeo: Distimia - Mau Humor e Depressão Crônica - Dr Diogo


Artigos Interessantes

10 chaves para incentivar a leitura em seus filhos

10 chaves para incentivar a leitura em seus filhos

O lendo Tem benefícios infinitos, especialmente se for um hábito que é cultivado desde cedo. A leitura fortalece a imaginação, ajuda a criança a aprender, a se divertir sozinha e favorece nossa...

O desafio de aprender a estar no berço

O desafio de aprender a estar no berço

A educação das crianças pode começar desde o primeiro dia da vida do bebê. O berço É um ambiente perfeito para incentivar alguns hábitos educacionais, embora às vezes os pais acreditem erroneamente...