Boa educação: o poder de um sorriso

Embora pareçam sinônimos, os conceitos de riso, sorriso e felicidade se referem a idéias muito diferentes. O riso é alcançado, o sorriso é educado e a felicidade é alcançada. Todas são emoções muito positivas que devemos cultivar e saber transmitir aos nossos filhos para elevar seu humor e transmitir bons sentimentos aos outros.

O riso é alcançado e é necessário para a saúde

Estudos recentes sobre a capacidade do riso para combater todos os tipos de doenças indicam que, enquanto rimos, liberamos muitas endorfinas, responsáveis ​​em grande parte pela sensação de bem-estar. Nos últimos 30 anos, muito progresso foi feito na aplicação do riso como terapia.


Nos anos 70, um médico californiano aplicou alegria e bom humor como suporte na recuperação e tratamento de doenças, obtendo resultados benéficos. Algumas das descobertas mais interessantes e intrigantes mostram que o riso estimula o sistema imunológico e reduz os níveis de um hormônio do estresse, o cortisol, no sangue. Tudo isso nos leva a afirmar a importância de fazer nossos filhos rir, não apenas para tornar as pessoas felizes, mas também mais saudáveis.

O sorriso é educado

Assim como ensinamos nossos filhos a serem ordenados ou generosos, devemos educá-los sobre a importância de sorrir. É claro que algumas pessoas custarão mais do que outras, mas não devemos deixar que nossos filhos tenham uma cara séria, porque "são assim". Se seu filho é preguiçoso, você tentará se esforçar para ser mais diligente, portanto, se você for sério, terá que encorajá-lo a sorrir mais.


Nesse sentido, não devemos esquecer que o sorriso também faz parte da educação de boas maneiras: eles devem se acostumar a sorrir na portaria do prédio, ao carteiro, abrindo uma porta e cedendo. Eles devem deixar seus brinquedos com um sorriso, não com uma cara feia; Dê graças ou peça por favor com um sorriso nos lábios. Existem milhares de situações cotidianas em que devemos ensinar as crianças a realizá-las sorrindo.

A felicidade é uma atitude constante

Não depende do estado de espírito. É aprender a ser feliz com as circunstâncias que nos tocam. Das crianças, podemos fazê-las ver que deveriam ser felizes com um brinquedo, mesmo que quisessem ter dois como vizinho; para desfrutar do seu sanduíche de chouriço no lanche, mesmo que você não compre o pão que ele quer.

A felicidade é algo interno, independente de o rosto da criança ser mais sério ou mais alegre. Uma criança que sorri um pouco não é o mesmo que uma criança infeliz, apenas nos diz que ele deveria se esforçar mais em sua vida para mostrar seu sorriso.


Dicas para dar um exemplo e educar no sorriso

- Sorria, mesmo que isso te custe um pouco. Diante das dificuldades, você costuma sorrir ou é um daqueles que logo torce o gesto? Você não deve fingir que tudo é perfeito, mas você deve sorrir, embora às vezes custa um pouco.

- Incentive seus filhos a sorrir. Observe-se e verifique se você costuma dizer ao seu filho frases como: sorria que você é mais bonito, ou sorria que me faz mais feliz, sorria mesmo que doa um pouco.

- O sorriso é um gesto gentil. Não é o mesmo sorrir, rir dos outros. É muito provável que as crianças riem nas situações mais embaraçosas. Devem aprender a dominar-se e a saber estar a cada momento, mas sempre com um gesto amável.

- Coloque uma cara legal. Ao caminhar, incentive seus filhos a olharem os idosos. Você vai ver que existem alguns com um gesto gentil e outros com uma cara de resmungos. Você pode explicar a eles que possivelmente pessoas com um rosto amigável estão acostumadas a sorrir desde cedo. Pergunte-lhes qual dos dois eles querem parecer daqui a alguns anos.

- Diga adeus com um sorriso. De manhã, você quer que seus filhos tenham um bom dia com um sorriso e recebê-los à tarde com outro. Seus filhos vão internalizar que estar com eles faz você se sentir bem e eles vão perceber isso graças ao sorriso que eles vão ver desenhado em seu rosto.

Marisol Nuevo Espín

Vídeo: Andrezinho Shock - A vida é tipo roda gigante ( CLIPE OFICIAL ) TOM PRODUÇÕES


Artigos Interessantes

TDAH, o desafio de fazer amigos

TDAH, o desafio de fazer amigos

O que é diferente sempre causa alguma coisa de medo. Deixar a zona de conforto e saber algo diferente custa muito e é por isso que quando uma criança não se ajusta ao cânone normal, ela pode ser...

Jogo livre, porque é tão bom para as crianças?

Jogo livre, porque é tão bom para as crianças?

Vamos enfrentá-lo: temos medo do tempo livre. Parece muito com horror vacui no art. Isso nos dá a impressão de que, se por um tempo não temos nada a fazer, não estamos sendo produtivos e a...

Pais e novas tecnologias, você prega pelo exemplo?

Pais e novas tecnologias, você prega pelo exemplo?

Muitos pais são claros sobre as regras que devem ser passadas aos filhos em relação ao uso de novas tecnologias. Mas eles aplicam essa lei? Os adultos pregam pelo exemplo e aplicam o mesmo conselho...